Não existe nada mais tocante e bonito que a sinceridade de uma criança. Quando eu era uma, eu olhava pros adultos e pensava que evoluiria para a condição deles, que era um estado mais avançado que o meu. Hoje, do alto dos meus 41 anos, vejo que é justamente o contrário. Nascemos em estado de perfeição, em sintonia com a natureza, depois vamos ficando mais burros e ignorantes a medida   Read More ...

Categories: Sem categoria

Ontem a lua estava linda. Saímos eu Mariana e o Francisco para curtir o visual e fotografar. Por sorte, Pouso Alegre ainda é uma cidade que tem estradinhas de terra longe da luz da cidade onde dá pra ir (por enquanto, não sei por quanto tempo ainda) sem medo. Meu amigo Pereira da Viola tem um termo dele quando quer se referir a alguma coisa grandiosa, ele diz que é uma   Read More ...

Categories: Sem categoria

Faiança Em um poema de seu sensacional livro Magma, João Guimarães Rosa cunhou a expressão “faiança das lagoas”. Faiança é um tipo de cerâmica delicadíssima e de grande beleza, como a superfície de uma lagoa limpa com seus reflexos de céu azul. A belíssima metáfora serviu de inspiração para uma música gravada no meu disco No Oco do Bambu (2009), parceria minha e da querida cantora e compositora Dani Lasalvia.   Read More ...

Categories: Sem categoria

  Ontem liguei pra Jesus. Ele não atendeu, devia estar ceando em família, como todo mundo. Mas hoje ele retornou via mensagem no celular e trocamos mensagens divertidas, sobre a derrota do galo em Marrocos e outros assuntos mais. Estava com saudade desse meu amigo, o último show do Matuto Moderno já faz um tempinho. De qual Jesus vocês pensam que eu estava falando? O aniversariante de hoje? Não, não tô com   Read More ...

Categories: Sem categoria

  Todo mundo um dia acaba sendo tratado como filho da puta. Com o brasileiro isso acontece frequentemente várias vezes na vida. Comigo já aconteceram tantas que eu já não tenho crise com isso, já vesti a carapuça de filho da puta. A última foi hoje. Estava fazendo a transferência do meu carro, financiado pelo filho da puta do Banco do Brasil, para Pouso Alegre, onde vivo atualmente. Não vou   Read More ...

Categories: Sem categoria

De uns tempos pra cá tenho percebido como sou chato e ranzinza com um bocado de coisas. Herança de família. Sabem do Érico Veríssimo, o famoso romance O tempo e o vento? Pois é, quando ele descreve a família dos Terra eu identifiquei imediatamente a família Machado, da qual faço parte. Aquela coisa sisuda, de pouca conversa. E dentre todas as coisas que me tornem sisudo e azedo que nem   Read More ...

Categories: Sem categoria

Hoje minha Tia Sônia fez oitenta anos. Teve festa, feijoada, roda de viola comigo e com o Euler. Tudibão. Tia Sônia não é minha tia, é na verdade minha mãe. A irmã inseparável da D. Susete (minha mãe que me carregou na barriga de verdade). Sou um sujeito muito afortunado por ter duas mães, e uma delas agora octogenária. As fotos que ilustram esse site foram feitas na cozinha dela,   Read More ...

Categories: Sem categoria

Esse fim de semana toquei com meu velho amigo Euler Ferreira. Há alguns anos atrás tínhamos um grupo com mais o Geraldo Jr. O Orelha de Pau (nosso trio), que gravou um CD em 2002. E o Euler aceitou um convite meu pra tocar no FICA (Festival Itajubense de Cultura e Arte) que acontece todos os anos naquela cidade. A princípio o convite era pra tocar no mercado municipal, fazer   Read More ...

Categories: Sem categoria

Acabo de terminar de ler a biografia de Gilberto Gil. E agora amo esse homem mais do que já amava. Êita baianinho arretado! Ler biografias é uma coisa engraçada, eu fico com dois sentimentos principais: que toda aquela história do sujeito passa a fazer parte da minha, o que é bem real, pois a gente incorpora coisas de pessoas que admiramos, numa bem produtiva antropofagia. E a outra sensação é   Read More ...

Categories: Sem categoria

Além de Olinda ainda se encontra quem rendas tece/ Se alguém pergunta o porque de se fazer/ responde-se o porque de perguntar” – Além de Olinda, de José Eduardo Gramani. Nessa canção, o Gramani colocou uma máxima universal sobre os diversos valores humanos. Por que continuar com eles? Ora, e porque continuar também com a ignorância, com a mediocridade e com a hipocrisia? As boas e as más qualidades humanas   Read More ...

Categories: Sem categoria