Acabo de chegar em casa, vindo da comemoração pelos 15 anos da Ecovila Clareando, em Piracaia. Com a cabeça e o espírito em estado de plena ebulição resolvi escrever pra não perder o calor da experiência.
Minha história com esse lugar começou quando estava em Pedralva, durante um encontro de agricultura orgânica em 2006, se não me engano. Um dos palestrantes era Edson Hiroshi Seo, um japa extraordinário de quem me tornei fã desde esse primeiro contato. Hiroshi chegou pra fazer sua palestra sob uma tenda de lona, depois do almoço, sob forte calor, para uma platéia sonolenta e já saturada por outras palestras que haviam rolado desde cedo. Sua primeira providência foi botar todo mundo de pé e improvisar a ginástica aeróbica mais impensável para aquela ocasião, ao final da qual estávamos todos em estado de uma descontração quase eufórica e muitas risadas, e então ele começou sua fala, agora sob olhares totalmente atentos de todos. E as coisas que ele disse naquele dia me marcariam pra sempre.
Depois quis conhecer a Ecovila, e fiquei sabendo que Hiroshi era amigo pessoal de uma vida inteira do Prof. Hermógenes. Por isso ele acabou honrosamente aceitando meu convite de participar de meu último CD, Assopra o Borralho. Lá está ele com sua viola e voz (sim, além de tudo, o cara é violeiro e cantador dos melhores!), cantando a Toada do Professor Hermógenes.
A primeira parte da comemoração foi a inauguração de um espaço comunitário, celebrado por Frei Betto. Esse homem, autor de 60 livros, fez uma celebração ecumênica e encantou a todos com sua sabedoria e humor sarcástico. À tarde, palestra com o Monge zen budista Enjo, que construiu um templo em Pedra Bela com técnicas de bioconstrução. À noite, tocamos e cantamos até tarde, numa jam session inesquecível. No dia seguinte (hoje), uma palestra com o o Prof. Ortega, da Unicamp. Encontrar todas essas pessoas e ouví-las assim de uma vez, é uma coisa pra sacudir todas as teias de aranha da acomodação mental que porventura permitimos que se ajuntem, e lustrar a lente de cristal por onde passa a luz que ilumina nosso espírito. Estou realmente revigorado por esse encontro!
A Ecovila Clareando, assim como outras centenas de iniciativas semelhantes que se espalham cada vez mais por esse mundão, propõem um futuro diferente desse que vem sendo construido nas últimas décadas pelo sistema de produção e consumo extremamente agressivo que vem exaurindo as reservas naturais do nosso planeta e colocando a vida seriamente em risco. Tudo por uma obtusa visão capitalista/antropocêntrica de que tudo o que existe ao nosso redor é feito para o mais mesquinho consumo humano, coisa que vem sendo sistematicamente plantada na cabeça das pessoas por uma indústria que se realimenta dessa lógica destrutiva. Mas o movimento contrário felizmente está crescendo, e muito, apesar de a maioria das pessoas ainda se acomodaram aos nossos velhos hábitos arraigados, e por essa incapacidade de tentar mudar, preferem andar com a multidão. Mas é certo que consumo desenfreado é coisa do passado, o petróleo é uma energia sem futuro, e o planeta caminha para um destino que precisa da energia transformadora de todos para ser diferente. Mas essa mudança tem que vir de dentro. Como disse Ghandi, uma vez: “Precisamos ser a mudança que queremos ver no mundo.” Esse é o caminho buscado pelas pessoas que vivem em comunidades como a Ecovila. É o caminho buscado por mim e inspirado por seres humanos grandiosos como meu amigo Hiroshi. Parabéns Ecovila Clareando! E muitos anos de vida!

Categories: Sem categoria

Leave a Reply